Dia da Mulher

Nada de flores, nem de bombons, nem de cartões. Dia das Mulheres é um dia de luta.
Luta contra a desigualdade de direitos entre os gêneros. Contra a diferença de poderes: “isso uma mulher pode, isso só um homem pode”. Contra o rebaixamento dos símbolos de feminilidade, sejam eles ostentados por homens ou mulheres.
(Parêntesis para falar sobre homofobia: um homem também pode ostentar símbolos de feminilidade e uma mulher pode abdicar deles, se assim quiserem ou se sentirem à vontade. E ter relacionamentos afetivos e sexuais com pessoas do mesmo gênero não deve ser entendido como sinal de “sexualidade cruzada”. E heterossexualidade não é o caminho natural, é um dos possíveis caminhos e todos são naturais)
É dia de levantar a voz e dizer que todos somos dignos de respeito. Que não é necessário se contentar com os papeis sociais e de divisão de trabalho que a sociedade insiste em imputar.
É dia de não querer ser tão bonita como a modelo ou a atriz. Ou é dia de querer ser sim bonita como a modelo ou a atriz, porém tendo consciência de que isso não é necessário. Ser mulher não é escolhido. Ser feminina pode ou não ser uma escolha.
Mulher não “pensa com o coração”. Mulher pensa. Mulher decide. Mulher escolhe. Tal e qual os homens. Tratar mulheres como bonecas ou princesas, frágeis, dóceis e sentimentais, é tratar mulheres com condescendência: “deixa ela, pobrezinha, pensar que é esse o seu único poder”…
Mulher luta.
Parabéns não por ter “nascido mulher”. Parabéns por ter “nascido ser humano”.
(Via Juliano Correa em Escritos não falados -http://naofalado.blogspot.com.br/2012/03/dia-da-mulher.html)

Reunião dos Docentes do Campus de Araguaína com a Direção do Sindicato

CAROS COMPANHEIROS DOCENTES DA UFT ARAGUAÍNA
Convidamos a todos para uma reunião dos Docentes do Campus de Araguaína com membros da Diretoria do SESDUFT, está confirmada a presença do Presidente Prof. Fábio Duarte, gostaríamos de ressaltar a importância da participação de todos:
Quarta-feira – 19/02 – 16h no Auditório II no Cimba
Temas de discussão – Informes do Congresso do ANDES em São Luiz e atualização da pauta de ações do SESDUFT.

Esperamos por todos…

 

 

Relato do professor Tiago Zurck sobre pautas definidas no 33 congresso do ANDES.

Imagem

 

INFORME: 

Prezados, voltamos do 33 Congresso do Andes-SN com a tarefa de mobilizar as bases e nos integrarmos as chamadas para lutarmos pela pauta com demandas específicas e, também integradas aos SPFs

–> campanha salarial de 2014

Definição de data-base em 1º de maio; política salarial permanente com reposição inflacionária, valorização do salário base e incorporação das gratificações; cumprimento por parte do governo dos acordos e protocolo de intenções firmados; contra qualquer reforma que retire direito dos trabalhadores; retirada de projetos, medidas provisórias e decretos contrários aos interesses dos servidores públicos; paridade e integralidade entre ativos, aposentados e pensionistas; reajuste de benefícios; antecipação para 2014 da parcela de reajuste prevista para 2015.

—> cronograma de lutas da campanha salarial de 2014

24 a 28 de fevereiro- Protocolo da pauta dos docentes das IFE no Ministério da Educação, com cópia para o Ministério do Planejamento e solicitação de audiência ao MEC;

10 a 14 de março- Envio de material de divulgação do ANDES para seções sindicais com o objetivo de mobilizar a categoria;

10 a 18 de março- Rodada de assembleias gerais das seções sindicais para debater mobilização e deliberar sobre paralisação em 19 de março;

19 de março- Dia nacional de paralisação dos docentes das IFE e ato público em Brasília;

21 de março- Reunião ampliada da Secretaria Executiva da CSP-Conlutas, em São Paulo;

22 de março- Encontro do Espaço de ‘Unidade e Ação’ em São Paulo;

24 a 28 de março- Rodada de assembleias gerais das seções sindicais do setor das federais para discussão sobre retomada da greve suspensa em 2012, se somando ao conjunto dos SPFs;

29 e 30 de março- Reunião do setor das Ifes, em Brasília, pautando a retomada da greve dos docentes de forma unificada.

A LUTA CONTINUA!! HÁ BRAÇOS!! Vamos nos fortalecer ainda mais no ANDES-SN.

https://www.facebook.com/TZurckPotter

Docentes reforçam ato em São Luís em defesa dos direitos sociais

Centenas de docentes, participantes do 33º Congresso do ANDES-SN, atenderam ao chamado dos movimentos sociais de São Luís (MA) e integraram, no início da noite desta quinta-feira (13), ato coordenado pela CSP-Conlutas em defesa dos direitos sociais e contra a política de opressão do governo estadual.

Ao longo de todo o percurso, representantes de movimentos sindicais, sociais, estudantil – como CSP-Conlutas, ANDES-SN, Quilombo Raça e Classe, Quilombo Urbano, Quilombo Charco, Associação Quilombo Cruzeiro, Moquibom, Anel, Movimento Mulheres em Luta (MML) – e a classe trabalhadora denunciaram os problemas vividos pela população maranhense, em relação à moradia, transporte, saneamento básico, alagamentos e a falta de acesso à educação e à saúde de qualidade, entre outros.

As lideranças dos movimentos quilombolas também relataram a repressão do governo, as ameaças que sofrem diariamente e as inúmeras tentativas de extinção das comunidades tradicionais. A presença dos docentes participantes do 33º Congresso foi destacada durante as falas, que saudaram os professores.

Durante a manifestação, a presidente do ANDES-SN, Marinalva Oliveira, ressaltou a importância da unidade na luta e destacou a participação do Sindicato Nacional na atividade. “O ANDES-SN está reunido em São Luís com professores de todo o país, que representam instituições de ensino superior dos estados, e vem se somar a esta manifestação vitoriosa do povo maranhense, que reivindica o acesso a direitos sociais para esta população, que tem sido espoliada dos seus direitos”. Marinalva acrescentou ainda que os docentes estavam no ato por solidariedade à luta, e também na defesa da educação, pela aplicação dos 10% do PIB para a educação pública já, contra a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e por condições dignas de salários.

O presidente da Apruma, Seção Sindical do ANDES-SN, Antônio Gonçalves, ressaltou a presença do Sindicato Nacional na manifestação. “Agradeço ao ANDES-SN por se somar à classe trabalhadora do Maranhão nesta luta e exigir a saída deste governo. Vamos conseguir mudar a realidade do Maranhão em breve, não pelo voto, mas pela disputa e pela conscientização da classe trabalhadora. Estamos aqui para resistir”.

“O Maranhão esteve nas manchetes dos últimos dias por conta dos acontecimentos de Pedrinhas, mas o estado tem muitos outros problemas. Há meio século é dominado por uma oligarquia, responsável pelos problemas enfrentados pela população, mais de 60% passa fome. É o estado com a maior concentração de terras e com os piores indicadores de saúde, além de ter altos índices de analfabetismo. A população tem que lutar para conquistar suas reivindicações”, afirmou o representante da Executiva Nacional da CSP-Conlutas,Saulo Arcangeli.

Percurso
Os manifestantes se concentraram na Praça Deodoro, em frente à Biblioteca Pública, e seguiram pelas ruas do centro histórico até a rampa do Palácio dos Leões, sede do governo do Maranhão. Várias palavras de ordem, como “Quilombo não vive cansado, melhor morrer na luta que viver escravizado”, “Mulheres em luta contra a opressão, abaixo ao machismo e à exploração” e “Da copa eu abro mão, eu quero o Sarney bem longe do Maranhão”, foram ditas ao longo do caminho, que se somaram às falas de representantes de vários segmentos – saúde, educação e movimentos sociais. Um forte esquema policial impediu a subida dos manifestantes à sede do governo do estado, que permaneceram no local por mais de uma hora.

Um veículo da imprensa local, que cobria o ato, denunciou as ameaças sofridas por parte da polícia, que tentou censurar e impedir a cobertura. Expressões da cultura maranhense também estiveram presentes na manifestação, como o Tambor de Crioula. O ato foi finalizado com uma intervenção artística, feita por um docente da delegação da Bahia, participante do 33º Congresso.

- Confira aqui a terceria ediçao do Informandes Especial do 33º Congresso do ANDES-SN: http://portal.andes.org.br/imprensa/noticias/imp-ult-604647414.pdf

Fonte: Andes-SN

Aprovada Centralidade da Luta no 33o Congresso do Andes – SN. Greve geral esteve em Pauta.

Segue relato do professor Antonio Willamys Fernandes Silva, professor sindicalizado da SESDUFT  e delegado do 33º Congresso do ANDES-SN.

No 33° Congresso do ANDES, que acontece em São Luís, discutiu-se ontem na Plenária a Centralidade da Luta. Várias textos de referência foram aprovados, como defesa do projeto de educação pública, condições de trabalho, carreira e salário, mas o texto mais polêmico foi o proposto pela base da ADUR-RJ, que trata da CONSTRUÇÃO DE UMA GREVE GERAL em 2014. O texto foi discutido pela plenária com posições a favor e opostas.

imp-ult-1098562139

 

Os autores da proposição sustentam que devemos ter uma ação direta e que o principal meio de transformação social é a greve, que expressaria o protesto dos trabalhadores. Os contrários à greve falaram principalmente da falta de mobilização da base para a construção de uma greve geral neste momento e que a greve é o principal instrumento, mas não o único. Depois de muita discussão, a plenária se manifestou contrária à greve por ampla maioria.

 

Mais informações em: http://www.andes.org.br/andes/print-ultimas-noticias.andes?id=6629

Amplo debate na Plenária de Conjuntura do 33º Congresso aponta rumo para a luta

Imagem

 

 

Sob o tema Movimento Docente e Conjuntura, os delegados, observadores e convidados do 33º Congresso do ANDES-SN participaram, na noite desta segunda-feira (10), da Plenária que discutiu e analisou os desafios postos à classe trabalhadora para o ano de 2014. A quantidade e a qualidade das contribuições que integram o Caderno e Anexo ao Caderno de Textos do 33º Congresso – 13 no total – demonstrou a mobilização empreendida pelas Seções Sindicais para apresentar suas análises que localizem com precisão as estratégias de atuação a serem seguidas pelo Sindicato Nacional.

 

A reflexão sobre as lutas internacionais, protagonizadas pelos trabalhadores na Europa, Norte da África, Palestina, América Latina, entre outras, foi considerada fundamental para a compreensão do contexto de lutas em que os brasileiros estão inseridos, e um quadro da crise econômica que se agrava. As falas destacaram ainda a importância das greves ocorridas em 2012, as manifestações intensificadas a partir de junho de 2013 e sua continuidade em 2014, as formas de inserção do movimento docente nos atos em defesa dos direitos sociais e contra a política do governo que favorece cada vez mais o capital.

Os participantes ressaltaram ainda a importância da unidade e da organização da classe trabalhadora para os enfrentamentos de 2014. As intervenções também debateram sobre a possibilidade da construção de uma greve em 2014, e a necessidade de que a questão envolva toda a categoria, para fortalecer a luta em busca de vitórias para o movimento.

”Esta Plenária foi muito rica e está sustentada na qualidade e na quantidade das teses apresentadas, em um total de 13. Após a apresentação das teses, as 20 intervenções desenvolveram elementos que serão aprofundados nas discussões em relação à Centralidade da Luta e aos outros temas do 33º Congresso”, avalia o coordenador da mesa da Plenária 1, Josevaldo Cunha.

Fonte: ANDES-SN
+10
|
0
| Denunciar
 

33º Congresso do ANDES-SN tem início na próxima semana

Docentes de todo o país se reunirão em São Luís (MA), entre 10 de 15 de fevereiro, para definir o plano de lutas de 2014 

Com o tema “ANDES-SN na defesa dos direitos dos trabalhadores: organização docente e integração nas lutas sociais”, docentes de todas as regiões do país participarão, entre os dias 10 e 15 de fevereiro, do 33º Congresso do Sindicato Nacional, que será realizado em São Luís (MA). Instância máxima de deliberação da categoria, o encontro discutirá e aprovará as políticas prioritárias para o plano de lutas do ANDES-SN de 2014.

A presidente do ANDES-SN, Marinalva Oliveira, afirma que a expectativa é que 2014 seja um ano de muitas mobilizações, na esteira das centenas de manifestações de 2013, por conta da atual conjuntura, marcada pelo aumento do custo de vida, o descaso governamental com as políticas sociais e a realização da copa do mundo este ano no país. “O ano de 2013 resultou em um acúmulo de forças muito grande dos movimentos sindicais e social, o que poderá redundar, neste ano, em uma mobilização intensa pelos direitos dos trabalhadores. Teremos um ano extremamente rico com possibilidades de grandes ações”, prevê.

Entre as pautas que serão discutidas no Congresso, a presidente do Sindicato Nacional cita a construção do Encontro Nacional de Educação, a luta pela aplicação dos 10% do PIB para a Educação Pública, contra privatização dos Hospitais Universitários por meio da criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e contra o Fundo de Pensão para os servidores públicos (Funpresp).

A 33ª edição do Congresso do ANDES-SN também marcará o início do período eleitoral na entidade, com o registro das chapas que concorrerão à Diretoria Nacional, que estará à frente do Sindicato entre 2014 e 2016. “O Congresso será um momento rico de análise da conjuntura que está posta e daquilo que está por vir pra 2014. Além disso, é um Congresso que estabelecerá e fará o registro das chapas para a eleição do Sindicato Nacional deste ano. É uma situação muito especial, porque é quando o Sindicato se revigora”, ressalta o secretário-geral do ANDES-SN, Márcio de Oliveira.

O 33º Congresso do ANDES-SN foi convocado em outubro de 2013 e é organizado pela Associação dos Professores da Universidade Federal do Maranhão (Apruma), Seção Sindical do ANDES-SN, conforme deliberação do 32º Congresso, realizado em março deste ano, no Rio de Janeiro.

São Luís
Esta não é a primeira vez que um evento nacional do Sindicato Nacional é realizado em São Luís (MA). Em junho de 1995 e em julho de 2007, a Apruma sediou o 30º e o 52º Conad, respectivamente. “A realização de um congresso nacional do nosso Sindicato em terras maranhenses reverte-se, para nós da Apruma, de grande significado político”, afirma o presidente da Apruma, Antônio Gonçalves Filho, membro da Comissão Organizadora do 33º Congresso e diretor do Sindicato Nacional.

Credenciamento prévio

Os delegados e observadores ao 33º Congresso têm até sexta-feira (7) para fazer o credenciamento prévio, iniciado em 3 de dezembro de 2013, conforme a Circular nº 215/13 (confira), a fim de facilitar o processo de inscrição nos eventos nacionais do ANDES-SN. Durante o 33º Congresso, o credenciamento será realizado no dia 10 de fevereiro, das 9h às 12h e das 14h às 20h.

Pelo menos um representante de cada Seção Sindical ou Secretaria Regional, credenciada previamente, deverá comparecer à Secretaria do 33º Congresso, também no dia 10, para confirmar, ou não, a presença dos delegados e observadores. Esta confirmação é essencial para que o credenciamento se efetive.

Anexo ao Caderno de Textos
Na última quinta-feira (29), o ANDES-SN divulgou, por meio da circular nº 09/2014 (confira), o Anexo ao Caderno de Textos do 33º Congresso do ANDES-SN. O documento conta com 51 contribuições de seções sindicais e docentes sindicalizados. O Caderno de Textos já está disponível desde o dia 26 de novembro. O documento foi encaminhado por meio da Circular nº 243/13 (confira) para as Seções Sindicais, Secretarias Regionais e diretores do ANDES-SN.

O Caderno de Textos também estará disponível aos participantes do 33º Congresso no local do evento, e no site do ANDES-SN, aos demais sindicalizados.

Confira o Caderno de Textos 

Confira o Anexo ao Caderno de Textos

* Com informações da Apruma

 

SESDUFT integra paralisação geral desta quinta (11) com Manifestações durante todo o dia.

          Atendendo ao chamado do ANDES-SN, várias seções sindicais se somaram às atividades marcadas nesta quinta-feira (11) nas suas cidades e estados, agregando reivindicações específicas dos docentes às bandeiras unificadas da classe trabalhadora que compõem a pauta geral do Dia Nacional de Lutas com Greves e Mobilizações, com o tema “Pelas liberdades democráticas e pelos direitos dos trabalhadores. A SESDUFT também esteve presente nesse dia de luta. Os Docentes e Técnico-Administrativos da UFT paralisaram suas atividades por 24 horas no dia 11 de julho e realizaram um ato na porta da Universidade durante a manhã. Na parte da tarde, Docentes e Técnico-Administrativos da UFT se juntaram às cerca de 1,5 mil pessoas (de acordo com a Polícia Militar) para participar dos protestos convocados pelos movimentos sociais e centrais sindicais marcando o Dia Nacional de com Greve. Os manifestantes, levando faixas e cartazes, partiram do Colégio São Francisco, percorreram a Avenida Juscelino Kubistchek e fizeram paradas em frente da Prefeitura, Tribunal de Justiça, Secretaria de Estado da Habitação e Palácio Araguaína.

          Em todo o Brasil, este dia 11 de julho foi marcado por greves, mobilizações e outras atividades reivindicatórias, em virtude do Dia de Lutas organizado pelas oito centrais sindicais brasileiras (CSP-Conlutas, CUT, UGT, Força Sindical, CGTB, CTB, CSB e NCST), com a participação do MST, Dieese, Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (SPF) e outros setores articulados no âmbito do Espaço de Unidade de Ação.

          Em Palmas participaram das manifestações integrantes de entidades como União nacional Por Moradia Popular do Tocantins (UNMP-TO), Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Movimento Sem Terra (MST), Movimento dos Atingidos Por Barragens (MAB), Movimento Nacional de Luta Pela Moradia (MNLM), Sindicato dos Servidores Públicos do Estado do Tocantins (Sisepe ), Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Estado do Tocantins (Sintras), Sindicato dos Trabalharores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical além  do Sindicato dos Técnico Administrativos da Universidade Federal do Tocantins (SINTAD-UFT) e da Seção Sindical dos Docentes da Universidade Federal do Tocantins (Sesduft).

          “O dia 11 de julho teve como marco central o fortalecimento da luta dos trabalhadores, para definirmos novas práticas e novas ações”, ressalta Marinalva Oliveira, presidente do ANDES-SN, completando que, neste dia, a palavra de ordem foi “Nenhum direito a menos para os trabalhadores”.

Confira abaixo algumas fotos do evento.

Este slideshow necessita de JavaScript.

(Com informações de ANDES-SN e T1 Notícias.)